Casos de escoliose com sucesso de tratamento

Casos de Escoliose

Para avaliar os casos tratados pelo Projeto Escoliose, devemos levar em consideração idade, tipo de escoliose, maturidade óssea, menarca, Risser entre muitos outros.

Caso 1

Caso 1 C.S.

A proposta inicial era tentar deter o agravamento da curva; os pais e a própria paciente se recusavam em pensar na cirurgia como alternativa.

Projeto Escoliose sugeriu então a utilização de uma órtese (Colete) que ajuda no controle do agravamento. Então foi recomendado um TLSO de última geração criado e desenvolvido pelo Dr. José Miguel Gomez, o GOSS Systems que é um sistema que utiliza um software por meio de desenho assistido, o que permite a fabricação de elementos ortésicos e protéticos de forma automatizada.

Ao mesmo tempo foi proposta uma serie de exercícios fisioterapeuticos específicos para escoliose. Neste caso a abordagem utilizada é SEAS, recurso onde o Projeto Escoliose tem especialização e certificação Internacional através da formação da Fisioterapeuta Patricia Italo Mentges.

 

Caso 2

projeto escoliose foto caso 2

Este caso, como o anterior chegou ao Projeto Escoliose com recomendação cirúrgica e com curva torácica de 47º Cobb. e uma curva lombar de 35º Cobb. Idade da paciente 13 anos.

Na iminência de uma cirurgia os pais e a paciente preferiram um tratamento conservador onde foi decidida a utilização de colete Goss junto com exercícios SEAS.

 

Caso 3

Caso 3 N A

Paciente de 12 anos se apresentou com curva torácica de 42º Cobb e Toraco-lombar de 48º Cobb.

Semelhante aos casos anteriores seus pais procuraram um tratamento conservador para tentar conter o agravamento das curvas pois já tinha indicação cirúrgica.

Foi recomendado o uso de colete Goss, concomitantemente e indispensavelmente a execução de exercícios fisioterapeuticos específicos para escoliose, a abordagem SEAS.

Neste caso especificamente, podemos observar a diferença de correção obtida com a utilização de um colete Milwakee antes de iniciar o tratamento no Projeto Escoliose.

É de suma importância que ao serem utilizadas ferramentas como órteses elas sejam de boa qualidade e principalmente contem com um gerenciamento efetivo de qualidade tanto  por parte do ortesista assim como  do médico.