Jessica Ashwood Não deixe que te digam que você não pode!

Jessica Ashwood supera barreiras para representar a Austrália na Olimpíada do Rio de janeiro em 2016.

Em tempos de olimpíada a escoliose está se tornando mais evidente na mídia vide o caso de Usain Bolt e agora este vídeo.

Há dois contrapontos que devem ser cuidadosamente discutidos.

Esta atleta decidiu seguir o caminho da natação de forma competitiva. Ela escolheu priorizar a vida atlética e desta forma, conviver com uma escoliose severa.
Conclui-se que a natação NÃO trata escoliose, como já há estudos comprovando isto.

Importante observar e ressaltar que tanto a fisioterapia, acupuntura e a ioga servem para aliviar suas dores como ela mesma diz; mas não como tratamento. Observe que ao fazer esta escolha ela abriu mão da estética e da própria curva.

Deixamos um alerta: não deixe que te digam que não pode fazer nada mas também esteja consciente de que toda escolha traz consequências.

Nós já publicamos textos em nosso site que indicam que a natação não é tratamento para escoliose e também publicamos indicações de trabalho científico onde se evidenciava que a natação competitiva ou outros esportes a nível competitivo podem piorar uma escoliose que não esteja sob tratamento adequado.

Tratamento adequado significa ser tratado por profissional devidamente certificado em uma das sete escolas de exercícios fisioterapêuticos específicos para escoliose ao qual nos referimos nas nossas postagens mais recentes.

Destacamos
– A escoliose não restringe de forma absoluta as atividades físicas,
– Natação N Ã O trata escoliose,
– Escoliose de adulto também se trata,
– O esporte competitivo fortalece o padrão da escoliose,
– Os efeitos nocivos são minimizados com tratamentos adequados desde que sejam prescritos por profissionais devidamente certificados.

Discutiremos este assunto, entre tantos outros que envolvem o complexo mundo da escoliose, no nosso Ciclo de Estudos que acontecerá no dia 3 de Setembro!