Pacientes diferentes, tempos diferentes …. Escoliose – Único tratamento não cirúrgico 2

tratamento escoliose sem cirurgia 5

Pacientes diferentes, tempos diferentes …. Escoliose – Único tratamento

No ambiente do tratamento da escoliose, quase sempre encontramos proposições sem nenhuma base ou evidencia cientifica.

Milhares de vezes ouvimos a panaceia de que a única forma de tratamento eficiente é a cirurgia. Mais do que frequentemente profissionais envolvidos com este procedimento não levam em consideração que esta proposição já tem mais de 40 anos – mesmo querendo travesti-la de cirurgia minimamente invasiva –  e o tratamento evoluiu no seu tipo e forma.

Vide publicação no SRS (Scoliosis Research Society) Position Statement – Screening for the Early Detection for Idiopathic Scoliosis in Adolescents SRS/POSNA/AAOS /AAP Position Statement

Da mesma forma, encontramos profissionais que acreditavam estar se aprimorando num método de trabalho que se aplica genericamente a muitas alterações e que de forma nada científica propõe um tratamento para a escoliose, lamentavelmente estes métodos ou técnicas não específicas não se sustentam sobre base científica.

Muitas vezes os pacientes que precisam de um tratamento recorrem, por desconhecimento, a profissionais não capacitados e/ou qualificados como é recomendado nos consensos científicos. Para estes reconhecer que seu tratamento está mal conduzido é difícil, se apegam a ele como se se trata-se do último salva-vidas do navio naufragado.

Está mais do que na hora que tanto os profissionais como os pacientes despertem a esta nova realidade. 

Os Exercícios Fisioterapêuticos Específicos para Escoliose (SSE Scoliosis Specific Exercices) são a base do tratamento eficiente e com sustentação cientifica, também o uso de uma órtese de última geração 3D Cad/Cam (Com base no  SRS and Sosort Criteria) permite obter os melhores resultados. Veja link externo

Dentro de tantos de nossos pacientes atendidos, queremos apresentar 4 casos que tem uma relação direta com o título deste post.

 

Caso 1> Adolescente sexo feminino, 12 anos + 2 meses, no início do tratamento,

Escoliose com + de 50 graus Cobb. Paciente e pais se recusando a fazer a cirurgia.

Intervalo entre o primeiro registro e o atual = 18 meses

tratamento escoliose sem cirurgia

 

Caso 2 > Adolescente sexo feminino, 13 anos + 5 meses no início do tratamento,

Escoliose com mais de 50 graus Cobb. Paciente e pais se recusando a fazer a cirurgia.

Intervalo entre o primeiro registro e o atual = 5 meses

tratamento escoliose sem cirurgia 3

 

 

Caso 3> Adolescente sexo masculino, 13 anos + 3 meses, no início do tratamento,

Escoliose com + de 50 graus Cobb. Paciente e pais se recusando a fazer a cirurgia.

Intervalo entre o primeiro registro e o atual = 12 meses

tratamento escoliose sem cirurgia 2

 

Caso 4> Adolescente sexo feminino, 12 anos + 8 meses, no início do tratamento,

Escoliose com + de 50 graus Cobb. Paciente e pais se recusando a fazer a cirurgia.

Intervalo entre o primeiro registro e o atual = 17 meses

tratamento escoliose sem cirurgia 5

 

Todos estes resultados são preliminares. O tratamento continua em andamento.

Somos o único centro de tratamento não cirúrgico da escoliose que detém a qualidade de especialista em toda a América Latina.

Defendemos a detecção precoce e o tratamento adequado desde o momento da sua detecção.

“Observar e Esperar não é tratar”

Defendemos que a cirurgia em escoliose idiopática só deve ser recomendada quando foram esgotados todos os recursos técnicos e humanos levando-se sempre em conta a segurança da saúde do paciente.

A escoliose não é o Cobb, título de post anterior, que destaca que não se pode tomar a decisão de realizar uma cirurgia com base apenas nos graus Cobb, isto é, no mínimo uma total falta de conhecimento da história natural da doença.

 


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

2 pensamentos em “Pacientes diferentes, tempos diferentes …. Escoliose – Único tratamento não cirúrgico

  • Felipa Rocha

    Tenho uma filha com escoliose mais de 55 graus, e não optamos pela cirurgia, quando descobrimos ela já tinha 15 anos, ela usou mochila de lado e pesada, mas até ai não sabíamos de nada e acho que foi isso que aconteceu, os médicos disseram que o caso dela é cirúrgico,ela é muito triste com isso, gostaria de vê-la sorrir de novo, Como faço para ver esse seu tratamento? Moro em Minas. Obs; a coluna dela em 2011 estava flexível.

    • Admin Autor do post

      Olá, por favor em nosso site envie o formulário para atendimento preenchendo-o completamente. Entraremos em contato com você após receber as informações para ver se podemos ajudar. Obrigado.